Home Matéria de Capa Estação AACD-Servidor será inaugurada na sexta-feira dia 31

Estação AACD-Servidor será inaugurada na sexta-feira dia 31

0
0

A felicidade de alguns usuários do Metrô durou pouco com o anúncio da inauguração de quatro estações da Linha 5-Lilás. Poucos minutos depois da divulgação a assessoria de imprensa do Metrô informou que houve um erro de divulgação, e apenas a Estação AACD-Servidor será aberta nesta sexta-feira, 31. O Metrô também informou que as outras três estações – Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin serão entregues com novo atraso, no fim de setembro. As primeiras promessas eram de conclusão do projeto, que custou R$ 10 bilhões, em 2014.
Diante da expectativa de uma participação maior no total de usuários que têm mobilidade reduzida, por causa da proximidade com a Associação de Assistência à Criança Deficiente, que batiza a Estação AACD-Servidor, a parada teve um desenho especial para melhorar a acessibilidade. Ela terá nove elevadores e 20 escadas rolantes, além de acessos em dois níveis na Rua Pedro de Toledo, em Moema, na zona sul de São Paulo.
A parada também facilitará o acesso aos Hospitais Edmundo Vasconcelos e do Servidor Público Estadual, além de ser uma opção a menos de 1,5 quilômetro do Parque do Ibirapuera. Será a estação mais perto do parque paulistano.
Num primeiro momento, a Estação AACD-Servidor funcioná em operação assistida. O Metrô estima que elas devem ficar em horário especial, funcionando das 9 às 16 horas, por duas semanas.
As novas estações da Linha 5-Lilás ainda tiveram um desenho arquitetônico planejado para reduzir o consumo de energia, um dos maiores custos operacionais da rede. As grandes claraboias de vidro são “marcas” das novas paradas, que têm em seu nível do asfalto novas praças abertas à população. No caso da AACD Servidor, há ainda dois pisos de estacionamento entre o nível da rua e as plataformas.
Com a abertura das outras três estações, a Linha 5-Lilás do Metrô será oficialmente interligada às Estações Santa Cruz, da Linha 1-Azul, e Chácara Klabin, da Linha 2-Verde, ligando o ramal, que vem do Capão Redondo, no extremo sul da capital, à região central de São Paulo. A expectativa dos técnicos é de trazer uma série de mudanças significativas nas dinâmicas do transporte público da cidade. Cerca de meio milhão de pessoas devem passar a usar a linha diariamente com as novas conexões.
“Deve haver alguma diminuição da lotação da linha (9-Esmeralda) da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) na Marginal do Pinheiros”, afirma o chefe do Departamento de Engenharia de Transportes da Escola Politécnica da Universidade de Transportes (Poli/USP) Claudio Barbieri da Cunha, considerando ainda interferência nas Linha 4-Amarela, inaugurada, em 2011.
“Parte das pessoas que vêm da zona sul pela Linha 5 deve continuar na Linha 5, enquanto só quem está na Linha 9 deve continuar na Linha 9. O que vai definir isso é quanto tempo a pessoa vai gastar na baldeação (a troca de trens)”, afirma o professor, que destaca ainda expectativa de redução da lotação no túnel que liga as Estações Paulista (da Linha 4) e Consolação (da Linha 2). “Essa estação estava subdimensionada. Ela foi planejada para ser inaugurada depois das conexões da Linha 5”, completa.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregaer Mais em Matéria de Capa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *