Home Acontece Grupo Dedo de Moça mostra versão sofisticada de sambas

Grupo Dedo de Moça mostra versão sofisticada de sambas

0
0

“Será que vai dar samba?” Esta questão tem resposta positiva quando rola a cozinha instrumental do Dedo de Moça. O grupo feminino se diferencia na cena musical brasileira ao acrescentar instrumentos inusitados ao ritmo, como violino, sax e cello, e ainda marca presença num segmento da música com predomínio masculino. Para mostrar a que veio, o quarteto apresentou seu mais recente show, Atemporal, no domingo (16), no Centro de Culturas Negras do Jabaquara. Antes da apresentação gratuita, as integrantes fizeram uma palestra sobre a história do ritmo, um símbolo nacional, e seus usos políticos, dando exemplos musicais.
Atemporal trouxe no repertório clássicos como: Atraente (Chiquinha Gonzaga), Para Ver as Meninas (Paulinho da Viola) e Enredo do Meu Samba (Jorge Aragão/Dona Ivone Lara), entre outras. As faixas do álbum, lançado em 2018, estão nas plataformas de streaming (Spotify, Deezer, Apple Music e Itunes).
Criado em 2013, em Sampa, o quarteto é formado por Ana Claudia César, (Choronas) no cavaquinho, Ana Eliza Colomar (do grupo de música étnica Mawaca) no cello, flauta e sax, Cintia Zanco (orquestra Jazz Sinfônica), nos arranjos e violino, e Rosana Bergamasco (Trio Que Chora), arranjos e violão 7 cordas. É dela a música que dá nome ao show e ao álbum, Atemporal, além de Setembro também na seleção.
Com reinterpretação de sambas tradicionais, o som do Dedo de Moça atravessa a linha fina que separa a música de concerto da popular, agradando os ouvidos de várias tribos. “O grupo trata a música popular com recursos da erudita, resultando na música de câmara. Com intimismo e lirismo, os arranjos mantêm o apelo de memória afetiva das composições”, fala a arranjadora e violinista Cintia Zanco.
Com arranjos dela, Menino das Laranjas, de Theo de Barros, ganhou introdução bastante camerística, e Quem te Viu, Quem te Vê, do Chico Buarque, foi transformada a tal ponto que é difícil identificá-la no começo; depois há momento para improvisação, com destaque para a multi-instrumentista Ana Eliza Colomar.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregaer Mais em Acontece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *