Home Acontece Ansiedade e seus mecanismos

Ansiedade e seus mecanismos

0
0

Caro leitor, se você não sofre com Transtorno de Ansiedade, certamente deve conhecer alguém que sofre. Quem está passando por isso, precisa saber que não está sozinho, pois cerca de 264 milhões de pessoas sofrem com algum tipo de Transtorno de Ansiedade no mundo. O Brasiltem o maior índice de pessoas acometidas por este quadro psicopatológico no planeta! Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), 9,3 % da nossa população sofrecom Transtornos de Ansiedade.
A ansiedade é vista como um sentimento útil para a preservação da vida. É como um sinal de alerta, que possibilita maior atenção sobre um perigo iminente, para assim poder traçar estratégias adequadas de defesa. Sendo assim, a ansiedade é um recurso emocional presente nos processos de mudanças e nas novas experiências de vida. Para definir se o estado ansioso é normal ou patológico, deve-se avaliar a intensidade e frequência com que ocorre, duração, impacto no desempenho social e profissional e o grau de sofrimento envolvido. No quadro patológico, o indivíduo paralisa e, por consequência, gera uma série de prejuízos para sua vida, pois sente-se incapacitado para lidar com as ameaças do mundo.
A gênese de um quadro ansioso está vinculada a fatores psicossociais e biológicos, mas de maneira gerala ansiedade surgirá através de um mecanismo no qual o indivíduofará a seguinte interpretação: SUPERESTIMA um perigo/ameaça em relação ao que ele realmente representa e/ou SUBESTIMA a sua capacidade de lidar com as situações. Com este funcionamento ocorrendo de maneira sistemática e recorrente, o sujeito vai se aprisionando nestas estratégias de pensamento, no qual acredita estar se protegendo de algo que possa vir a acontecer. Contudo, não percebe que se torna refém desse mecanismo e que acaba gerando uma série de emoções desagradáveis como medo, insegurança, tristeza ou até mesmo pânico.
Existem vários tipos de ansiedade, com características e sintomas diferentes. Esses são os mais comuns, com uma breve definição sobre o quadro, que por si só não podem ser considerados para fechar diagnóstico.

Transtorno do Pânico:Ataques recorrentes e inesperados.
A principal característica de um ataque de pânico é a intensa sensação de medo e desconforto seguida por diversos sintomas somáticos ou cognitivos (por exemplo: palpitações ou taquicardia;sudorese;tremores;sensação de falta de ar;dor ou desconforto torácico;náuseas ou desconforto abdominal, dentre outros).
Fobia Específica:Medo excessivo e persistente de objetos e situações específicas. Há um temor acentuado e irracional acerca de situações como voar, animais, tomar injeção, ver sangue, etc. A exposição ao estímulo fóbico causa uma resposta de ansiedade excessiva.
Fobia Social:Medo excessivo e persistente de situações sociais ou de desempenho.
Há um intenso temor em agir de maneira humilhante ou embaraçosa, bem como o medo em demonstrar sintomas de ansiedade.
Transtorno de Estresse Pós-traumático: caracterizado por um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais em decorrência de o portador ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que, em geral, representaram ameaça à sua vida ou à vida de terceiros. Quando se recorda do fato, ele revive o episódio.
Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC): As obsessões são caracterizadas por pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que são experimentados pelo indivíduo, causando intensa ansiedade ou sofrimento. As compulsões são definidas por comportamentos repetitivos (por exemplo: lavar as mãos, rituais de verificação ou de organização) ou por atos mentais como orar contar ou repetir palavras mentalmente, que o indivíduo se sente obrigado a realizar em resposta a uma obsessão.
Transtorno de Ansiedade Generalizada: Ansiedade e preocupação excessivas
Uma alta variedade de preocupações excessivas e pressentimentos estão presentes na maior parte do dia, no decorrer de pelo menos seis meses, como por exemplo o medo de que doenças e acidentes possam ocorrer consigo ou com pessoas próximas.
Agarofobia: Na maioria das vezes, está associado às crises de pânico. Caracterizada por comportamentos de esquiva, que aparecem quando a pessoa se encontra em situações ou locais dos quais seria difícil ou embaraçoso escapar ou mesmo receber socorro se algo de errado acontecesse.
A boa notícia é que, apesar de todas as dificuldades, trata-se de um quadro que pode ser diagnosticado, controlado e superado, através do tratamento com os profissionais capacitados na área de Saúde Mental.A Terapia Cognitivo Comportamental, em especial, apresenta eficácia no resultado. É importante alertar que,se não tratado, o quadro de Transtorno de Ansiedade não irá desaparecer naturalmente e a tendência ése agravar ou até mesmo desencadear outros tipos de transtornos psicológicos.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregaer Mais em Acontece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *